Auge Assessoria Empresarial

RSS Incorparativa

Auge | Planejamento Tributário
2
page-template-default,page,page-id-2,mkd-core-1.0.1,ajax_fade,page_not_loaded,,mkd-theme-ver-1.0.1,smooth_scroll,side_menu_slide_from_right,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive
 

Planejamento Tributário

O Planejamento Tributário tem como objetivo analisar todos os procedimentos fiscais, regimes de tributação, documentos, livros contábeis e estrutura societária da empresa para detectar oportunidades e identificar situações de risco nas esferas federal, estadual e municipal.

 

As etapas e ferramentas do Planejamento Tributário:

Escopo do Trabalho

 

No Planejamento Tributário são realizados diversos comparativos entre a situação tributária anterior e a atual da empresa, projetando cenários futuros, sempre na busca de uma carga tributária de alta competitividade. No Planejamento Tributário, também são aplicadas diversas ferramentas como fusão, incorporação, cisão, entre outras.

 

No Planejamento Tributário a abordagem envolve:

  • Determinar a eficácia da estrutura corporativa da empresa no aspecto fiscal.
  • Planejar a forma para que as decisões e procedimentos tenham o tratamento tributário adequado.
  • Identificar as melhores oportunidades fiscais e explorar as alternativas de acordo com a legislação aplicável.
  • Planejamento estratégico e análise da estrutura organizacional na área fiscal.

 

Nossa sistemática de trabalho no planejamento tributário é focada na identificação de oportunidades e riscos tributários do cliente. Para tanto, ao início dos trabalhos traçamos o cronograma de execução das diversas atividades que serão realizadas no projeto.

 

O Planejamento Tributário possui duração mínima de 12 (doze) meses, com a entrega de relatórios periódicos para o cliente a respeito de cada área que envolva tributação na empresa, conforme nosso cronograma de execução.

 

Assim, inicialmente (Fase 1), são realizadas as seguintes revisões e análises:

(I) Regimes de Tributação;

(II) Revisão de Tributos Federais (IRPJ/CSLL/PIS/COFINS);

(III) Revisão das Retenções na Fonte (IRRF, CSLL, PIS e COFINS);

Em uma segunda etapa (Fase 2), os trabalhos são ampliados, visando mapear a totalidade das incidências tributárias da empresa:

(IV) Revisão ICMS

(V) Revisão de ISSQN

(VI) Revisão de IPI

(VII) Revisão das operações com o exterior (Importação e Exportação).

Na terceira etapa (Fase 3), partimos para análises nas áreas de Recursos Humanos e Financeira, com a proposição de alterações que importem em ganho tributário, apresentando ao final um relatório completo:

(VIII) Revisão Previdenciária (INSS), Fundiária (FGTS) e Contribuições do Sistema “S”;

(IX) Revisão da Folha de Pagamento;

(X) Incentivos Fiscais;

(XI) Análise de Logística Fiscal

(XII) Reengenharia Societária